Crise demanda nova postura de colaboradores e muda estratégia de RH

Business interviewO objetivo central é despertar o engajamento do time diante dos novos desafios que estão sendo apresentados pelo mercado.

Em momentos difíceis, nada melhor do que inovar. Pensando nisso, a Transvip Brasil, empresa de transporte de valores e segurança patrimonial, tem investido ainda mais em sua área de recursos humanos. O objetivo central é despertar o engajamento do time diante dos novos desafios que estão sendo apresentados pelo mercado.

Embora tenha registrado resultados financeiros extremamente positivos – que em 2015 foi 30% maior do que no ano anterior, a empresa lançou uma campanha interna que tem como força motriz a união de todos para que a crise econômica e politica do país não afete os negócios da companhia. Quem fala sobre o projeto é a diretora de recursos humanos, Luciana Machado.

Qual é a importância da área de RH num momento como esse?

LM – O RH é importante em todos os momentos. Ele é o verdadeiro coração da empresa, a locomotiva. Na Transvip, a área sempre foi uma das nossas maiores prioridades. Nosso mercado é delicado, depende muito da honestidade e integridade dos colaboradores. Então, além de ter bons processos de recrutamento e seleção, precisamos dar incentivos constantes para que eles cresçam com a empresa e se convençam de que trabalhar adequadamente sempre será a melhor alternativa.

O mercado de transporte de valores tem sido alvo constante de bandidos. Como o RH pode auxiliar nesse sentido?

LM – Infelizmente, quanto a sinistros em transportadoras de valores, a chance de envolvimento do efetivo interno tem que ser levado em conta. O contato com quantias elevadas de dinheiro pode levar alguns a acharem que o crime compensa. A depender de suas formações e valores pessoais, alguns se sentem tentados a colaborar com grupos de crime organizado para “resolverem” suas vidas financeiras. Na verdade, estão criando grandes problemas com a Justiça. Nesse contexto, o RH assume um papel crucial para a empresa em conjunto com a área de Segurança Interna, através de processos bem desenhados de atração, analise e integração dos funcionários. Ainda assim o fator primordial é a existência de uma cultura sólida que atue por si só. Neste contexto o tônus do time é um grande aliado. Nosso principal foco é o fortalecimento da cultura organizacional, sempre. Essa é uma das nossas principais blindagens.

Qual é o intuito dessa nova campanha interna?

LM – Queremos gerar mais energia ao time. As notícias de crise política e econômica tendem a desmotivar. Nosso objetivo é combater isso, criando engajamento e sinergia. “Sim, existe uma crise. Mas nós decidimos que ela não vai nos afetar”. A campanha consiste em focar todo o time na otimização dos processos, redução de custos e investimento em responsabilidade ambiental (culturalmente trabalhado na empresa, já que detemos o Selo Verde). Como consequência, objetivamos um ganho de produtividade através de qualidade de vida e principalmente da atitude de dono.

Que ações estão previstas?

LM – Estamos criando vários projetos especiais e emplacando campanhas internas. Um dos maiores destaques é o programa de líder coaching, atendendo os pedidos dos funcionários que querem voltar suas carreiras para a gestão, pensando nos potenciais líderes que temos hoje. Formamos também um grupo de “Embaixadores da Marca”, com a participação de funcionários de todos os setores da empresa. São realizadas reuniões de onde saem sugestões, ideias e muitas oportunidades de melhoria para o negócio e para a vida das pessoas. É um movimento bonito de ver e participar. E tudo isso é coroado pelo programa de coaching executivo.

Como isso deve trazer resultados financeiros para a empresa?

LM – A força do time é o que faz a diferença nesses momentos. Chegamos à conclusão que a hora é agora: 2016 é o ano da atitude. No caso específico de vendas, criamos o “indique um cliente” para envolver a todos nos objetivos de expansão de mercado. Estamos formando um ducto de desenvolvimento e engajamento extremamente motivador, e os reflexos apareceram mais rápidos do que esperávamos. Gestores de áreas administrativas atuando em plena sinergia com os gestores operacionais, gestores operacionais trabalhando no conceito de brainstorming entre as diversas sucursais da empresa pelo Brasil. Funcionários se envolvendo e disseminando as ações, se comprometendo na busca dos resultados esperados.

Qual é a mensagem que essa campanha quer transmitir?

LM – Diante da crise, continuamos mirando a expansão de mercado e concluímos que quanto mais energia canalizada, quanto mais pessoas olhando para a mesma direção, quanto maior fosse a disseminação de nossos objetivos estratégicos e consequentemente o engajamento do time, maior seria nossa força para navegar nesses novos mares. Queremos mostrar que a união e o engajamento da equipe é o que vai nos fazer enfrentar e superar o momento complicado pelo qual passa o Brasil. É nisso que acreditamos.

Fonte: SEGS

Link: http://www.segs.com.br/seguros/16639-crise-demanda-nova-postura-de-colaboradores-e-muda-estrategia-de-rh.html

Start typing and press Enter to search